O Morro dos Ventos Uivantes e as lembranças que me traz

A obra O Morro dos Ventos Uivantes foi adaptada diversas vezes para o cinema, a primeira em 1920 e a mais recente em 2011. Aqui no Brasil duas telenovelas foram feitas, em 1967 e 1973, respectivamente O Morro dos Ventos Uivantes' e Vendaval. No meio musical romance tem sido popular em óperas, ressaltando as escritas por Bernard Herrmann e Carlisle Floyd, além da clássica canção de Kate Bush, lançada em 1978. - Créditos das informações aos donos.


Esse livro me traz muita melancolia atualmente, lembro-me que a primeira vez que ouvi falar dele foi em Crepúsculo, muito citado por Bella, eu e minha mãe acabamos por nos encantar com esse enredo. É justamente por causa dela, da minha mãe, que esse livro tem ido e vindo da minha mente e dos meus braços. Como já contei, em março minha mãe faleceu por causa de um Glioblastoma e de lá para cá meus dias tem sido de muitos altos e baixos. Tenho me sentido mais soturna e melancólica, tem sido uma batalha vencer o estado de depressão no qual me encontro e ver com otimismo esses dias. Mas enfim...

Uma coisa muito chata porém que fará parte das minhas lembranças enquanto eu as tiver é que justamente esse livro estava na casa dela, sempre trocamos comentários sobre nossas leituras, herdei esse gosto dela e ela por sua vez da minha avó. Cresci cercada por livros da infância da minha mãe e da minha tia. O morro dos ventos uivantes era um dos livros que ela não devolvia por nada até que eu já nem lembrava mais que um exemplar estava com ela. 

No fim, só o que ficam são as lembranças em meio a dor. Portanto é essencial viver, ler, dançar, rir e chorar, ter o que contar o que relembrar.
O Morro dos ventos uivantes me acompanhou nessa última semana e me deixou repleta de questionamentos que nunca poderei fazer. Como por exemplo qual o real motivo de minha mãe adorar tanto essa história? Para mim essa história fascina pela carga emocional de seus protagonistas e também sua complexidade. Como eles se assemelham a nós em vários aspectos e elucidam as características negativas que um ser humano pode carregar, como por exemplo, o desejo de vingança.



“Não posso viver sem a minha vida. Não posso viver sem a minha alma”. (Heathcliff)

“Minhas grandes tristezas neste mundo, têm sido as tristezas de Heathcliff: ele é a minha finalidade de viver. Se tudo mais perecesse e ele ficasse, isto bastaria para que eu continuasse a viver”. (Cathy)



Esse post não foi desde o início pensado para ser uma resenha, mas sim meu desabafo, para com vocês, da minha relação com essa obra. Mas não deixem de me contar o que acham dessa obra.
XoXo!💋

1 Comentários

  1. Olá
    Que bacana ter um livro que te trás tantas lembranças bacanas. Eu, particularmente, não gosto de O morro dos ventos uivantes. Tentei ver o filme mês passado, mas não consegui passar dos dez minutos de filme. Não sei nem porque, mas tem algo na história que me repele.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir